sábado, 19 de setembro de 2009

Praxe!

Porque realmente é o que mais caracteriza um caloiro: a praxe. Depois de duas (longas) horas a fazer a matrícula, cá fora esperavam-me uns quinze 'doutores' (como eles gostam de se autoproclamar) para me praxarem. Estive por volta de uma hora naquilo. Fiz de cavalo, gritei 'ri-me, fodi-me', fiz uma declaraçao de amor, fiz de emplastra, gritei 'viola-me que eu gosto' atrás de um rapaz que dizia 'não, que eu sou gay', enfim, fiz figura de parva. Não me importei. Foi engraçado sim. E segunda há mais.

Sem comentários:

Nada que uma boa noite de sono não resolva

Chegou a terça-feira e tinha uma dor de cabeça horrível e sentia um cansaço generalizado. O meu corpo estava a suplicar-me para parar de mar...