sábado, 30 de janeiro de 2010

Então estás a gostar do teu curso?

É a pior pergunta que me podem fazer. Eu não me dou ao trabalho de mentir. Apenas faço um grande favor às pessoas: encolho a resposta. A resposta longa, extensa, e secante que daria seria qualquer coisa do género 'Não, não estou a gostar. Em seis cadeiras, gosto de duas se tanto. E nem quero ver o próximo semestre, já para não falar do próximo ano e do outro. Bem, isto é, se lá ficar até ao fim. Para não falar de que não tenho assim tantos amigos lá como isso. Falo com umas cinco pessoas, o resto limita-se a bom dia e boa tarde. Ah, e ainda há a minha mãe que se me ouve a falar nisto fica passada e começa a dizer coisas sem sentido mas dá para perceber que detesta a ideia de eu desistir no fim deste ano lectivo. Mas pronto, tirando isto tudo, está tudo óptimo, está tudo bem.'
Eu limito-me a responder 'está tudo óptimo, está tudo bem', e acrescento um sorriso no final. Assim, as pessoas acreditam e eu também finjo que acredito em mim própria. Assim, fica tudo bem para toda a gente.

Sem comentários:

Aos 25

Passei a meia-noite de 7 em Budapeste com uma das minhas melhores amigas e foi o melhor dia de anos de sempre. Entre almoçar McDonalds e jan...