sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Eu queria, juro que queria.

Juro que queria estar apaixonada. Por alguém. Por uma pessoa vulgar aos olhos de todos, invulgar aos meus. Por alguém que com um simples olhar me queimasse por dentro, como se o ar que respirássemos fosse a combustão desse fogo. E não queria sentir as borboletas no estômago, mas ser habitada por milhares de bichos que se agitassem sempre que sentissem a sua presença. Juro que queria estar apaixonada.

(se ao menos estivesse apaixonada, escrevia textos bonitos como este todos os dias.)

1 comentário:

Débora Orrico disse...

que horror, também queria -.-

Nada que uma boa noite de sono não resolva

Chegou a terça-feira e tinha uma dor de cabeça horrível e sentia um cansaço generalizado. O meu corpo estava a suplicar-me para parar de mar...