quinta-feira, 18 de março de 2010

Cada vez me apercebo mais que

as aparências iludem. Tanto. Mesmo muito.
Tanto que eu achava que ela, essa rapariga gira que namora contigo, meu querido ódio fofinho, tinha de ser igual a ti. Eu sei, a minha parvoíce quando esse pensamento me atravessou estava ligada. Hoje ela provou que não. Que é uma pessoa decente e simpática, como tu não mereces. Foi a primeira vez que falei com ela, mas juro que fiquei com uma óptima impressão. Melhor do que tu algum dia me vais fazer passar.

É pena, ia jurar que uma pessoa como ela tinha discernimento suficiente para perceber o parvalhão que tu és.

1 comentário:

Débora Orrico disse...

estás a ser TÃO precipitada xD

Considerações sobre o dia de hoje

Serei a única pessoa que não está de férias?