domingo, 18 de abril de 2010

Houve um pedaço de mim que sem querer ficou em ti. Nunca se passou nada de real entre nós, mas ele ficou aí. Ficou aí preso em ti, e tu guardaste sem dizer nada. Não assumes que o tens, nem mo devolves. Mas eu sei que o tens, e tu também sabes. Um pedaço muito pequeno, mas quero-o de volta na mesma. Assim como sabes que eu também tenho cá dentro um pedaço teu. Eu não me importo de to devolver, se devolveres o meu, pode ser? A sério, não me importo nada. É só que quero enterrar isto para sempre, e assim não consigo. E, com uma mãozinha tua, consigo apostar em como ia custar muito menos.

3 comentários:

Débora Orrico disse...

ah, e esta imagem é tão minha pá!
roubona!

Débora Orrico disse...

enigma enigma enigma.
é que não tenho a certeza de quem estás a falar :|
7?

buu disse...

ahahah, nada a haver debs. A imagem é tua? desde quando? humpf.

Lá vou eu, a alta velocidade

Meses a ansiar por Junho e Junho chegou. Possivelmente um dos meses mais stressantes da minha vida, onde vi as minhas maiores olheiras de se...