terça-feira, 20 de abril de 2010

Não gostas de mim, e isso já eu percebi. Pronto, não gostas. Também não sei o que hei-de fazer para gostares. Eu não estou interessada em que gostes, só queria saber o teu motivo. Eu, (eu!) é que tenho motivos para estar chateada. Tu é que gozaste comigo. Tu é que me apontaste ao teu amiguinho. Tu é que te riste de mim. Por isso estou farta. Estou farta (até ao tutano, juro) da tua enorme infantilidade e da tua incrível capacidade de me pores fula só com um olhar de desprezo. Porque o que me irrita verdadeiramente é que tu não tens um motivo. E eu estou inocente. É que não gosto de ser acusada injustamente.

1 comentário:

Débora Orrico disse...

ufa, esse também não pára, credo. que chato -.-

Lá vou eu, a alta velocidade

Meses a ansiar por Junho e Junho chegou. Possivelmente um dos meses mais stressantes da minha vida, onde vi as minhas maiores olheiras de se...