segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

é que irrita-me mesmo.

E já que estamos numa de bloguices, se há coisinha que eu detesto é a existência de certos que são autênticas farsas. De pessoas que eu conheço com estes olhinhos que Deus me deu e que se fazem passar por outras. É que uma coisa é criar um blog e encarnar uma personagem, outra é dizer que se é assim, usar-se o nome, pedir opiniões que na realidade cairiam no ridículo, fazer comparações que não lembra a ninguém, contar histórias inventadas! Quando eu sei que não é. E é que isto não é um blog anónimo (assim como o meu, que está aqui num cantinho da blogosfera e não incomoda ninguém) não. O blog a que me refiro tem bastantes seguidores (duas ou três centenas creio eu) completamente crentes na existência de tal pessoa. Santo Deus me dê paciência para estas coisas. E se eu fosse uma pessoa corajosa dizia quem era e pronto acabava-se o conto de fadas. Mas sou uma coninhas e fico calada.

desculpem, eu sei que não perceberam nada do que disse, mas estava a precisar de deitar isto cá para fora.

Sem comentários:

Aos 25

Passei a meia-noite de 7 em Budapeste com uma das minhas melhores amigas e foi o melhor dia de anos de sempre. Entre almoçar McDonalds e jan...