terça-feira, 23 de março de 2010

Bichos do meu rico mundinho #5

A bully.

Pior (talvez não seja pior vá) que uma bully agressiva é uma bully passiva-agressiva. A bully foi minha colega de turma durante os trItálicoês anos de secundário. Começámos muito bem: éramos melhores amigas. E fomos até ao momento em que esgotei. Em que me fartei de ouvir umas 2049793278 críticas todos os dias. A bully é mais um daqueles casos de raparigas que têm muita confiança (ou então não têm nenhuma) e adoram deitar os outros abaixo. Nunca percebi como fui amiga dela tanto tempo. É certo que no décimo ano eu não tinha um pingo de auto-estima, mas ela nunca me ajudou a tê-la.

Só para terem uma ideia, numa turma de nove raparigas, no décimo segundo ano, adivinhem com quantas amigas a bully ficou no último dia de aulas? Zero. Isso mesmo, zero. A bully conseguiu chatear-se com oito pessoas do mesmo sexo, éramos todas muito más para ela. Chegou a chorar e a berrar connosco, por dizer que éramos más para ela. (Adivinhem? Naquele momento eu ri-me a bom rir, mas sempre mui discretamente.) A bully, no seu entender, era perfeita. O que fazia era perfeito, o que vestia era perfeito, o que dizia era perfeito. Nada mais errado. Até me custa escrever isto aqui porque o que ela pensa dela própria é tão oposto do que ela é.

É pena que os rapazes às vezes sejam tão práticos, simples e descomplicados. Sempre achei que andar um mês sozinha na escola a iria fazer ganhar alguma humildade mas, bolas, isto nunca chegou a acontecer.

sábado, 20 de março de 2010

Precious



Eu sei, não está na lista.

Nem estava com minimamente vontade de ver, mas a minha irmã com o seu gosto gourmet arrastou-me. E wow. O filme é qualquer coisa. É verdade, não vi os outros filmes, mas elas mereciam o óscar. Mesmo. As duas. Como principal e secundária. Sim, isso mesmo, perceberam bem. E quanto se devia ter ganho como melhor filme ainda estou na dúvida, porque o Nas Nuvens e o Sacanas Sem Lei ainda reinam o meu coraçãozinho deste ano. Mas que deviam ter ganho o óscar deviam. E não me vou conformar com isto até me cansar.

Até a Mariah Carey está bem.

É um filme inteligente: sabe como prender. Sabe caracterizar toda a acção de uma forma extraordinariamente real. Só tive pena de uma coisa: de como acaba. Mas pronto, isso é o menos. Vão ver sim?

Nota final do filme: 8,5.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Signs

Vejam isto e depois não digam que não é uma doçura. Só dá vontade de dizer cutxi-cutxi.


quinta-feira, 18 de março de 2010

Cada vez me apercebo mais que

as aparências iludem. Tanto. Mesmo muito.
Tanto que eu achava que ela, essa rapariga gira que namora contigo, meu querido ódio fofinho, tinha de ser igual a ti. Eu sei, a minha parvoíce quando esse pensamento me atravessou estava ligada. Hoje ela provou que não. Que é uma pessoa decente e simpática, como tu não mereces. Foi a primeira vez que falei com ela, mas juro que fiquei com uma óptima impressão. Melhor do que tu algum dia me vais fazer passar.

É pena, ia jurar que uma pessoa como ela tinha discernimento suficiente para perceber o parvalhão que tu és.

Ai, Alice Alice


Eu não queria, não queria mesmo, mas fui ver mais um filme das Crónicas de Nárnia. Não vale 7€ meus queridos amigos. O guarda roupa perfeitinho, as personagens também. Adorei não só o Johnny Depp mas a Anne Hathaway também estava muito fofinha. De resto é isso. Há muito pouco a dizer sobre o filme. Esperava de tudo, menos aquilo. Para um dos filmes mais ansiados deste ano, fica muito, mas muito aquém.

Nota final do filme: 7 (e mesmo assim vai com sorte).*

*acabei agora mesmo de verificar, e parece que o IMDb concorda comigo.

Lista de filmes que eu quero (vou) ver este ano VII

Avatar. (visto (; )
Eclipse.
Up in the Air.(visto (; )
Remember Me.
The Time's Traveler Wife.
Alice in Wonderland. (visto (;)
A Bela e o Paparazzo. (visto (; )
Harry Potter.
The Road. (visto (; )
Valentine's Day. (visto (; )
Bright Star. (semi-visto -.-)
Shrek - The Final Chapter.
A Single Man

Toy Story 3

terça-feira, 16 de março de 2010

Bichos do meu rico mundinho #4

O Pxx*

O Pxx é um rapaz do guetto. Não é um rapaz típico do guetto. Segundo o que eu percebo disso, para ser típico devia ter botas da Timberland, usar as calças super em baixo, usar kispos enormes com pêlo, ter brinco e ter o cabelo à DragonBall/com pála/rapado. O Pxx veste-se minimamente bem, não usa brincos e tem caracóis até grandinhos. Tem quinze anos. Fuma e diz umas piadas para o ar. Goza com toda a gente, e provavelmente nem tem grande auto-estima. O que é estranho, porque ele nem é assim tão feio. Segundo a D., tem o melhor traseiro dos arredores.
O Pxx chega a ser engraçado. Chegou a ser quase meu amigo mas sem passar por essa fase (if you know what i mean). Fazia desporto comigo e chegou a ser o principal motivo pelo qual eu o fazia.

Mas há coisas em que uma pessoa tem de acordar. Seria impossível ter algum tipo de coisa com alguém assim. O que não foi o suficiente para não me deixar com pena. O Pxx é um tipo engraçado, mas não passa disso. E quando as pessoas não vão muito longe, deixam de ter piada. Talvez seja por isso que sempre que passamos um pelo outro fazemos ar de importante e das duas uma: ou não dizemos nada e fingimos que não nos vimos ou mandamos uma boca qualquer sem importância. Enfim.


*O pseudo-nome é uma piada privada, não se preocupem, não a perceber não implica não perceber a história.

terça-feira, 9 de março de 2010

Bichos do meu rico mundinho #3


A mais fofinha/mais queridinha/mais gira/mais parece tão inteligente e fixe e vai na volta é tão oca como todas as outras.

É quase típico. Aliás, chego a arriscar que é absolutamente típico. Em todas as faculdades tem de haver uma rapariga que tem sempre os rapazes que quer. Tive a mesma impressão dela ao início que todos os outros: que era a mais fofinha, a mais queridinha, mais gira e ainda bastante inteligente. Mas há coisas que nos vamos apercebendo com o tempo. Principalmente que muitas vezes a nossa primeira impressão está errada.
Ela é, definitivamente, gira. E todos a adoram, e por isso daí vem o fofinha e queridinha. Agora porquê? Realmente não é bem uma pergunta que eu consiga responder. Acho que há certas pessoas que têm um carisma (citando a Roberta Medina, que diga-se de passagem que eu detesto) e que atraem os outros de uma forma natural. E não é burra, daí vem o inteligente.
No entanto, uma rapariga assim tão gira não podia ser assim tão perfeita. Como tem todos os rapazes que quer, anda com cada um um mês no máximo (o Bolacha, por exemplo) e depois troca. Como se fosse um carrosel.

Isto irrita-me. Não sei bem porquê, inveja não é certamente. Mas que me irrita, irrita.
Sabem quando uma música não vos sai da cabeça? Pronto, é só isto que tenho para dizer. Agora, se for para cantar...

'I used to think maybe you loved me
Now baby I'm sure
I and just can't wait till the day when you knock on my door
(...)
I'm walking on the sunshine whoa oh!
I'm walking on the sunshine whoa oh!
I'm walking on the sunshine whoa oh!
It's time to feel good!'

Vou tomar isto como um bom presságio. Antes isso que outra coisa qualquer, como por exemplo sinais evidentes que estou a ficar cada vez mais demente.

domingo, 7 de março de 2010

Londres e o post mais ansiado do momento

foto tirada por mim :)

Se há coisa que Londres me ensinou é que uma cidade tão bonita merece ser visitada mais do que uma vez. Por isso da próxima vez:
. não durmo (se é que se pode chamar dormir) uma noite inteira no aeroporto;
. logo não perco o avião de volta;
. não fico num hotel super rasco em que tive de transportar a mala de 10kg quatro andares de escadas/ficar sem aquecimento de noite/ficar sem luz mais de uma hora também de noite/ficar sem água quente de manhã;
. ando no London Eye;
. tiro uma fotografia decente ao pé do Big Ben;
. ando num autocarro típico;
. levo mais do que um casaco e um gorro para não parecer que as fotografias foram todas tiradas no mesmo dia;
. vejo mais do que uma exposição no Museu de História Natural;
. ando mais outro milhão de vezes no metro;
. bebo outra vez um Vanilla Latte (que é a melhor bebida do mundo, by the way);
. vou ao Madame Toussauds e vejo a estátuta em cera do RPatzz que vai lá estar daqui a quatro meses;
. e por falar nisso, vou vê-lo, porque não acho normal ir à mesma cidade em que ele está e não o ver.

I'm a creep. I'm a damn creep.

sábado, 6 de março de 2010


Era uma vez uma Buu ingénua e frágil. Até ao dia em que a Buu se cansou de ser ingénua e frágil. E desde esse dia que a Buu passou a ser céptica e forte. Assim não se volta a magoar tão cedo.

sexta-feira, 5 de março de 2010

Estrela Cintilante, ou nem por isso


Não quero falar muito sobre ele. Não o merece. Acho que dizer que não consegui ver até ao fim já significa muito. Tem partes muito bonitas. É pena é que estas partes não passem de 1/8 do filme. É tão parado. Tão tão tão parado. Só tem mais uma coisa boa: o actor principal.

Estou aqui a pensar em ti e em como tu és a metáfora da perfeição. És como um bombom de chocolate com o meu recheio preferido. Onde andaste tu hoje? Desapareceste da minha vista e assim eu não vivo. Não demores mais, estou cheia de saudades tuas.Não consigo sequer conceber acordar e tu não estares ao meu lado. Não agora. Tu ainda mal sabes que existo. Mas eu não me importo. Por enquanto, não me importo de ir sonhando contigo. E comigo. Com a tua mão na minha. Com os teus lábios nos meus. Tens um sorriso cansado. Eu gosto dele assim. Não te preocupes. Eu gosto de tudo em ti. Já não faço frases articuladas entre si sequer, já reparaste? É isto que provocas em mim.

Da tua, Maria. (não, não é o meu nome)

Precisa-se URGENTEMENTE

De um explicador virtual que perceba de Matemática do ensino superior, e que me explique decentemente primitivas até terça-feira.
Para os interessados ver o mail ali ao lado na barra lateral.
Obrigada.

(a sério, eu estou mesmo a precisar!)

quinta-feira, 4 de março de 2010

Valentine's Day


So much better than expected. Claro, tem o seu quê de previsível, mas nem metade do que estava à espera. Não é um grande filme com uma grande mensagem, mas tal como A Bela e o Paparazzo funciona. Desculpa D., mas não é melhor que O Amor Acontece, nem chega lá perto. Mas é um filme que quando chega ao fim ficamos a querer mais. 'Oh, já acabou?' foi a pergunta que eu e a D. fizemos. É um filme fofinho. Com personagens e histórias fofinhas. É um filme que definitivamente vale a pena ver, com namorado ou sem ele.
Nota final do filme: 7,5.

Lista de filmes que eu quero (vou) ver este ano VI

Avatar. (visto (; )
Eclipse.
Up in the Air.(visto (; )
Remember Me.
The Time's Traveler Wife.
Alice in Wonderland.
A Bela e o Paparazzo. (visto (; )
Harry Potter.
The Road. (visto (; )
Valentine's Day. (visto (; )
Bright Star. (semi-visto -.-)
Shrek - The Final Chapter.

A Single Man

A esperança é a última a morrer.

E quando pensamos que não há esperança para estes lados lemos isto



















e outros do mesmo género, e até começamos a achar que a nossa vida um dia poderá dar um livro semelhante a estes.

PS: é claro que só estou a falar da história principal e não de todas as histórias secundárias (por sua vez bem tristes) envolvidas em cada um dos livros.

quarta-feira, 3 de março de 2010

Quem vai hoje, quem vai?

Afinal, não é todos os dias que a selecção portuguesa vem à minha cidade natal jogar. Nem que seja com chineses. E também não é todos os dias que os bilhetes custam só dez euros.

terça-feira, 2 de março de 2010

Bichos do meu rico mundinho #2


A Bolacha, ou melhor, O Bolacha.

O Bolacha é aquele rapaz que se encontra perto da perfeição. É giro, aliás, bastante giro. Sabe-se vestir, é alto e magro. É amigo de toda a gente. Todos o adoram. Mas se há coisa que o Bolacha realmente me impressiona é que não se limita a ser giro e sociável. O Bolacha é inteligente. É o rapaz mais inteligente do primeiro ano, com grandes notas (coisas como dezoitos, dezassetes e dezasseis). Aliás, e provavelmente, é dos mais inteligentes de todo o curso. E, é humilde. Costuma dizer que é como toda a gente, que se quiséssemos tínhamos as mesmas notas que ele, e que há notas que nem ele sabe como as tem (três coisas que eu discordo redondamente). Para além de ser uma pequena mente brilhante, ele também sai à noite como todos. Também fica até ser muitooo tarde e também bebe. Provavelmente mais do que a maioria. Talvez seja por isto que a maior parte das vezes o têm de mandar embora num táxi. Para além disto, o Bolacha ainda sabe cantar e tocar viola. Eu sei, é esquisito encontrar alguém assim.

A pena, pelo menos para mim, é que eu nunca me soube relacionar com ele. E por isso é que quando nos vemos não passamos de sorrisos e às vezes, quando estamos os dois bem-dispostos, de bons-dias e de boas-tardes.

Aos 25

Passei a meia-noite de 7 em Budapeste com uma das minhas melhores amigas e foi o melhor dia de anos de sempre. Entre almoçar McDonalds e jan...