quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Já foi há um ano

o dia em que esteve a chover - muito muito - mas mesmo assim fui para a Serenata e a ouvi a capas meias com a minha madrinha. Já passou um ano que andei pelas ruas de Coimbra vestida de flor, com um penico a pedir dinheiro e a cantar até me doer a garganta. Já passou um ano desde que as minhas melhores amigas vieram só para me ver, elas ainda gente do secundário. Ontem o dia não foi tão especial para mim, afinal já passou um ano. Foi especial sim, para elas que vestidas de nerd e de anime informática fizeram a festa. Foi especial sim, para a minha caloira que é a melhor do mundo. Combina comigo e tudo. E foi um orgulho, dos grandes, baptizá-la com o nome de 'Mimi'. Combina com ela.

o tempo voa.

wow wow wow

Qual Top5 qual quê! O concerto do MIKA vai ficar como o segundo melhor momento deste ano até agora (apenas ultrapassado pelo facto de ter feito a pior cadeira do primeiro ano e não ter de voltar a olhar para ela). Muito, muito, bom. Valeu a pena as três horas de pé à espera. E tinha visto o concerto todo outra vez. Só vos digo três coisinhas: o rapaz só pode ser hiperactivo, canta que se farta e faz um espectáculo absolutamente memorável.

e sim, eu queria ter aqui umas fotos tiradas por mim, mas o meu telemóvel não sabe tirar fotografias à noite, e o meu carregador da máquina fotográfica ganhou pernas e fugiu de mim -.-

Vejam este vídeo pelo menos a partir dos 4 minutos e reparem só no que ele faz com o nariz! Absolutamente fantástico.


sábado, 23 de outubro de 2010

Coisa deprimente, eu

Pois só ontem é que descobri que o Zé Pedro dos Xutos não é o baterista como eu pensava, mas sim o baixista. Vá, podem-me bater à vontade.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Pois hoje (e depois da Serenata péssima de quarta) é dia de Latada e lá vamos nós. Não que esteja muito ansiosa por ouvir os Xutos, mas já estou a precisar de mandar tudo aos ares e fingir que não tenho nada para estudar/fazer o fato da caloira (ainda nem começado)/ e que no domingo tenho uma saída de campo que vem mesmo a calhar /outros problemas muito bonitos que é melhor nem falar.

P.S.: só faltam três dias para o Mika!

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Eu devia

neste preciso momento levantar-me do sofá, descer as escadas, ir buscar a pasta que tem uma bela sebenta lá dentro, pegar na sebenta e no estojo, dirigir-me com eles ao escritório, sentar-me e começar a ler e a decorar tudo o que lá vem. Afinal só tenho teste na quinta e a serenata da Latada é já amanhã. Para não falar que amanhã também só saio as cinco.

Mas não. Para já estou a falar com a best no Skype e depois vou ver Lost. Que alegria, pois é? Pois é.

domingo, 17 de outubro de 2010

Ok, ainda não estou assim tão desesperada...

'Sem mensagens novas! Se quiser alguma coisa para ler, tem sempre o Google News.'

Hoje apercebi-me do quão triste é o meu email aqui do blog. Nunca recebeu uma mensagenzinha de um seguidor mais querido nem nada que se parecesse. Nem sequer lá chegou alguma vez spam!
e, por exemplo, hoje, era um bom dia para que certas pessoas que estão na Suécia estivessem aqui comigo.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Orgulho

Estão a ver aquele miúdo que apareceu nos Ídolos hoje com uma t-shirt amarela e um casaco preto? E depois cantou no segundo trio 'I Kissed a Girl' com mais uma rapariga loira e um outro rapaz meio rouco?

É o meu melhor amigo. E eu tenho muito orgulho nele.

Este é o canal dele no Youtube. E só para que saibam, ele é o terceiro músico português mais visto. Logo a seguir à Mia Rose e à Ana Free.

sábado, 9 de outubro de 2010

Weee

Acabou agora mesmo (tipo, mesmo agora mesmo) de sair para o meu pc a primeira temporada de Lost. Vá, gozem lá comigo. 'A primeira temporada?' Sim, amiguinhos, a primeira temporada. Depois de mais de meio ano à espera. É hoje que começa o vício - mesmo que seja com uns cinco ou seis anos de atraso.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Um mês sem a best


Um mês sem uma das vossas pessoas. Not really that easy. É que há tanta, mas tanta coisa que eu sinto falta. E que tal uma listinha?

. Rir às gargalhadas como só tu me sabes pôr a rir. No último mês só me ri assim uma vez e lembrei-me logo de ti;

. Acontecer-me qualquer coisa - a coisa mais estúpida - e mandar-te mensagem logo de seguida;

. Mandar-te cartas escritas à pressa com tinta azul-verde fluorescente sobre o rapaz do cinema;

. Falar sobre o deus-maligno;

. Ver-te comer o teu swirl preferido com topping de menta com aquele ar todo deliciado e fazer cara de enjoada;

. Jogar ao ninja;

. Discutir contigo sobre quem é que tem razão sobre como é que tal coisa aconteceu (admitamos, eu tinha razão em 80% dos casos);

. Ir ao cinema contigo ver bons filmes;

. Fazer vídeos de todas as espécies, incluindo alguns em que somos lésbicas e outros em que somos apresentadoras de televisão;

. Fazer sessões fotográficas intermináveis;

. Seres a minha fashion-adviser;

. Falar eternamente sobre o Glee;

. Andar na tua mota e bater com o meu capacete no teu;

. E de tantas tantas tantas tantas outras coisas.

Tenho tantas saudades tuas.

Os meus pais são os melhores do mundo.



Terça foi dia de jantar de curso. É certo e sabido: dia de jantar de curso, a noite acaba as 23:30 com tudo a vomitar e afins. Então aqui a vossa santa (not!) Buu pensou que queria ir às aulas da quarta-feira seguinte - bastante importantes e difíceis - e tomou a feliz decisão de ir para casa no último autocarro por volta da meia noite.

Já está aqui a vossa Buu na paragem à espera do autocarro quando o telemóvel fica sem bateria. Não faz mal, penso eu, daqui a uns quarenta e cinco minutos já estou em casa. Pois sim. Passados dois minutos de ter entrado no autocarro adormeci que nem uma pedra. Nunca me tinha acontecido.

Pois, então o que é que aconteceu? Dormi mais do que o devido e passei a minha santa terriola e quando acordei - passados uns bons quinze minutos do suposto - já estava noutra terriola. Lindo!

E agora? Pois, Buu estava com telemóvel sem bateria. Buu estava sozinha à noite. Buu estava com medo.

Então uma lâmpada surge na minha cabeça e resolvi perguntar a um rapaz por uma cabine telefónica. Ele lá me disse que não sabe, mas emprestou-me o telemóvel dele - bastante simpático. Telefono para o meu pai: desligado. Telefono para casa, atende a mãe:

Buu: Sim, mãe, olha vim parar à segunda terriola. Adormeci no autocarro, dá para o pai me vir buscar?
Mãe da Buu: Ele foi agora buscar-te à estação da primeira terriola e tem o telemóvel sem bateria mas ele daqui a pouco já deve voltar porque tu não estás lá e já lhe digo para te ir buscar. Tu estás onde?

Ora, a segunda terriola tem duas paragens. E vai-se lá perceber como, a minha mãe percebeu que eu estava numa paragem mais à frente. E sim, quando estávamos ao telefone fiquei com essa ideia, mas não era eu que estava a pagar por isso queria despachar a conversa.

Mesmo que ela lhe tenha dito mal a paragem, o meu pai de carro tem de passar por mim na mesma, por isso não há problema, pensei eu.

Esperei pouco tempo. Conheço bem o som do meu carro e mal o vi a aproximar-se fui para junto da estrada. Pois. O meu pai não me viu. Passou a um metro de mim e não me viu. Repito: ele não me viu. Eu esbracejei, eu gritei. Não serviu de nada. Ele passou ao meu lado e seguiu em frente como se nada tivesse acontecido. E ele estava com o telemóvel sem bateria. E eu também.

Bem, ele chega à outra paragem e vê que eu não estou lá, logo volta para esta paragem à minha procura, por isso não há problema, pensei eu. Eu estava com pensamentos muito bonitos naquela noite.

Ora, passa aí uns cinco minutos - nada. Mais uns dez... pai da Buu nada. Mais um bocado e finalmente percebo. O meu pai foi à terceira terriola - vai-se lá saber porquê - ver se eu lá estava. Pois claro que não estava, eu já estava ali ia para uma hora. Ao frio - e é nestas alturas em que nos apercebemos que a nossa capa é um pequeno milagre do traje.

Passado muito tempo lá apareceu o meu pai. E desta vez viu-me. Não gritei com ele - não fui capaz, só queria ir para casa. E ele também não gritou comigo. Quando cheguei a casa a minha mãe fez questão de me fazer chá e torradas apesar de já ser bastante tarde. E é por isso que os meus pais são os melhores pais do mundo.

Err, pois, quanto às aulas do dia seguinte, acabei mesmo por não ir... Não se pode escapar ao destino, não é verdade?

Lá vou eu, a alta velocidade

Meses a ansiar por Junho e Junho chegou. Possivelmente um dos meses mais stressantes da minha vida, onde vi as minhas maiores olheiras de se...