segunda-feira, 25 de abril de 2011

enfim.

o miúdo mais novo finalmente foi dormir, mas ainda consigo ouvi-lo aos gritos. é sempre custoso adormecê-lo. a miúda mais velha anda lá por cima, de vez em quando ouvi-mo-la aos saltos - deve ter descoberto outra coisa nova. afinal é disso que os seis anos são feitos. na televisão passa uma novela da tarde que eu nunca vi - afinal, a esta hora estou sempre em aulas - e a minha mãe explica à minha cunhada a história. sempre a mesma coisa: um rapaz que vai acabar com as suas dívidas casando com uma rapariga herdeira completamente apaixonada por ele, dois homens de meia idade com ar mauzão planeiam matar alguém, a mãe de alguém preocupada porque o filho ainda não chegou a casa. o meu irmão resolve fazer alguma coisa nestas férias e meteu-se a trabalhar numa apresentação de powerpoint que já devia ter feito há uns quantos dias. a minha irmã...bem, não sei da minha irmã. a minha cunhada muda de canal e pela primeira vez algo prende verdadeiramente a minha atenção: 'O Diário da Princesa' um ou dois, não sei. não é o filme que me cativa, mas a actriz principal. o meu cérebro faz imediatamente a associação: tu adoras aquela tipa. a minha mão esquerda começa a picar-me. já sei o que vai acontecer: dentro de segundos terei aquela zona vermelha e empolada. a minha mãe diz que é urticária de pressão. acontece-me tantas vezes que nem ligo. a luz do meu telemóvel acende-se e eu sei que és tu. confirmo com um sorriso discreto - ou penso eu que é discreto - mas nunca consigo esconder o meu sorriso muito tempo. afinal, és tu. queria-te responder mas o cabo da bateria está todo enrolado nos cabos dos computadores, porque cá em casa temos uma tomada múltipla com 12 entradas (upa upa!), e não me apetece desenrolá-lo. daqui a pouco. volto a olhar para a televisão e desta vez tenho a certeza, é o dois. a imagem é demasiado recente. a minha cunhada comenta 'ela é montes de gira não é?'. é - respondo. - é parecida com a best. sim, porque a minha best tem a sorte de ser uma espécie de sósia da Anne Hathaway. enfim, há gente com sorte.

só que nada disto importa. o meu pensamento está sempre ocupado. contigo. chega a ser irritante, mas andas sempre por aqui a cirandar, sempre.

e eu dou por mim a pensar que este blog já foi muito menos piroso, mas também muito menos feliz.

2 comentários:

м♥ disse...

quando andamos felizes e apaixonados, as coisas ficam mais pirosas e lamechas. guess what? I don't really care. Se somos felizes não vamos fingir que não somos, só para que os textos pareçam menos parvos :)

buu disse...

exactamente, é mesmo isso que penso :)

Lá vou eu, a alta velocidade

Meses a ansiar por Junho e Junho chegou. Possivelmente um dos meses mais stressantes da minha vida, onde vi as minhas maiores olheiras de se...