segunda-feira, 25 de julho de 2011

falta uma semana!

A minha melhor amiga foi para um país longínquo durante um ano. No início não acreditei. Não parecia real o facto de não a ter ali sempre. As saudades apertaram muito durante aqueles meses que se prolongaram até ao Natal. Vimo-nos umas três vezes, e acreditem, não serviu de nada. As saudades não morreram, não fingiram que se esconderam sequer, nada. E depois voltou a fugir, como aquele gato vadio que não é de ninguém mas que de quando em vez lá está ele à minha porta a pedir mimo e comida. Desta vez demorou sete - sete longos meses - a voltar. Desta vez o sentimento foi diferente. Houve vezes em que não acreditei que a minha melhor amiga existisse mesmo. A minha vida seguiu em frente, e aprendi a não fazer planos que a envolvessem, aprendi a não pensar que ela estaria ali para me apoiar quando eu caísse. Aprendi a viver sem ela. Passei algumas semanas sem um único contacto. Só que há um tipo muito chato chamado coração que nunca se esqueceu. Fartou-se de chorar com a falta dela, e de me pedir para a ver. Mas eu não tinha como o satisfazer. Só que no fundo ele sabia sempre que ela havia de voltar, daqui a muito tempo, mas ela havia de voltar. E ele tinha razão.

A minha melhor amiga volta daqui a uma semana, e eu já não me consigo conter de excitação.

1 comentário:

'stracciatella disse...

Amigos verdadeiros não se esquecem e a prova de que são melhores amigas é que dentro de pouco tempo vai ser tudo como se ela nunca tivesse estado ausente. :)

That awesome feeling

Quando ontem à tarde duas pessoas dizem o mais banalmente possível: "Sim, a Buu é das pessoas mais simpáticas desta empresa" A...