quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Pois então que dou este dia por terminado e vou para a minha cama dedicar-me aos meus meninos que já não lhes dou atenção há muito: ao Dexter para começar bem a noite, mas não pode ser o último que me deixa com pesadelos, e ao Chuck que é um fofo e que nunca me deixa mal.

Well,

não foi nada de mais, mas convenhamos:
- os primeiros 30 minutos foram dedicados ao instrutor falar e falar e falar;
- durante a condução o senhor pôs a mão no volante aí umas 389 vezes e nos pedais então aí umas 4795925925 vezes mais;
- a maior vitória pessoal do dia foi conseguir acertar sempre nos piscas;
- não faço ideia de como decorar a manete das mudanças.

e como eu sou muito esperta tenho a próxima aula na sexta às 17h, que é em hora de ponta em Coimbra e já é de noite - great!.

A 2h da minha primeira aula de condução,

o pânico instala-se. Medo, muito medo.

domingo, 27 de novembro de 2011

Eu sabia

Que esta história de tanto escolher cadeiras opcionais para este ano ia dar mau resultado. Então não é que a jurava ser fofinha e fácil e ohh, que coisinha tão leve virou um monstro que pede quatro trabalhos cada um pior que o outro mais duas frequências? tudo isto em apenas três meses. Eu soube logo, naquele primeiro dia de aulas em que o professor não se calou durante duas horas e meia, que me ia arrepender. E pimba, já está, agora estou aqui aflitinha que não sei que voltas hei-de dar para me safar.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Estou cansada, chateada, triste, aborrecida, irritada e tudo o mais. Quero ficar num cantinho sossegadinha sem ninguém me chatear. E de preferência até ao fim do próximo ano.

sábado, 19 de novembro de 2011

Um.

De repente a contagem parou e todos os meses uniram-se muito e foram para dentro de uma caixa que eu escrevi com um número 1. Passou 1 ano. 1 ano. Custa-me pensar que já passou tanto tempo, foi tão rápido. Parece-me estranho, muito estranho. Não consigo sequer imaginar como teria sido este ano sem ti. Tornou-se tão habitual pensar em ti de manhã à noite, antes de dormir, logo quando acordo. Habituei-me - e é uma sensação tão boa - ao facto do meu pequeno coração palpitante estar sempre aconchegado e quentinho aí junto do teu. E o nosso amor foi crescendo, cada vez mais e mais, e aqui estamos nós. Mais felizes que nunca prontos a continuar a contagem.


sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Aff

Estou tão cansada que só me apetece chorar. Tenho tanto, mas tanto para fazer, é demais para uma pessoa só. Dá vontade de gritar 'ei! eu ainda sou pequenina, não mereço ser tão sobrecarregada! não vês que isso é muito peso para mim?' mas ninguém me ouve. Tenho trabalhos/frequências/fichas/relatórios/e a porcaria do exame de código para a semana. Não sei para onde me vire. Apetece-me baixar os braços, ir dar uma volta e lixar-me para isto tudo. Estou muito cansada e apetecia-me de vez em quando, só de vez em quando, poder ter tempo para me divertir.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Não levem a Leopoldina!

Depois de terem feito uma barbaridade como passar de uma Leopoldina fofinha e com asas!,



para um bicho feio como este



tenho o feeling que este ano a Leopoldina emigrou para nunca mais voltar. É que acabei de ver o novo anúncio da Popota e de repente algo fez clique: o Continente e o Modelo agora são o mesmo. E a Popota já fala em Continente e tudo. Quer isto dizer que a mítica Leopoldina e o 'Bem-vindos ao mundo encantado dos brinquedos, onde há reis, princesas, dragões!' se foram embora para nunca mais voltar? Se isto acontecer sofro um desgosto e não volto a ser mesma.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Ontem foi assim (título da moda e tudo, upa upa!)


Antes...

Depois!
E os nabos foram-se roendo até só sobrar a rama. E depois? Depois a rama atira-se de costas para o rio Mondego e pedem-se três desejos (eu cá só pedi um, e chega-me bem). 


terça-feira, 1 de novembro de 2011

até que chegou o dia.

Chegou o dia em que me fartei. Bolas, também não conheço aquela pessoa assim há tanto tempo para andar triste por ela. Aliás, tenho bem a certeza que se outras pessoas nos vissem juntas diriam 'a sério? tu és amiga dela?'. Afinal de contas não era. Mesmo que eu tivesse achado que sim. É incrível como as pessoas se descartam assim umas às outras. E hoje fartei-me de estar no caixote do lixo e saí, não para ir ter com ela, mas com quem ainda me quer por perto.



Até porque hoje é o cortejo da Latada e, digo-vos, tenho cá em casa um nabo que até ao fim do dia vai ser todo comido. E mostro fotos depois, pois claro!

Calma Buu Maria

Com 25 anos já era altura de ser menos impaciente mas na verdade acho que estou cada vez pior. Será possível que andei desesperada para come...