segunda-feira, 16 de abril de 2012

Da minha colega que coitada, tira umas fotos meias estranhas

Foi minha colega - e amiga vá - desde o quinto ano até ao décimo. Como morávamos - e ainda moramos, é certo - muito perto uma da outra, vínhamos sempre juntas da escola para casa, e íamos muitas vezes uma a casa da outra. 

Foi por volta do sexto ou sétimo ano (cedo, portanto) que descobri que a minha colega era um bocadito, como dizer isto sem chocar...porquita. Lembro-me perfeitamente de ela estar no Messenger a falar com um tipo muito mais velho conversas que, para uma miudita de 12 anos como eu, me chocaram um bocado. Até lhe cheguei a perguntar sobre isso e ela só respondeu: isto é tudo na brincadeira! Na altura, enterrei-me no meu buraquinho e calei-me. 

Mas foi quando andávamos aí no nono ano que ela revelou o seu potencial. Começou a namorar com um rapaz mesmo muito giro do décimo segundo. Claro que me roí de inveja. E sim, a partir dali tive a certeza que ela tinha jeito para os rapazes, e era quase só ela querer. E, digo-vos, ela não era nada de especial, era bonita e divertida. Era um bocadinho tolita, mas isso dava-lhe o encanto final. 

O problema, e eu sempre achei isto, é que quando se atinge o auge muito cedo, a partir daí é sempre a descer.   

No fim do décimo ano mudou-se para Coimbra e passámo-nos a  falar muito pouco. Sabia das histórias dela esporadicamente, e estas envolviam sempre um namorado novo. Mas aqui começava o declínio: eram sempre tipos pouco interessantes, pouco atraentes, enfim, eram para andar e seguir. Começava também um padrão: eram sempre alguns anos mais velhos que ela. 

Aqui há uns dois ou três anos vimos na foto de perfil do - ainda - hi5 dela a cereja em cima do topo do bolo: ela e o namorado da altura nus, deitados na cama, com o lençol a tapá-los e eles a aparecerem e a sorrirem para a câmara que ele segurava numa mão. A outra mão segurava vigorosamente a mama dela para não se ver, e pronto, lá estavam eles felizes e contentes, certos que aquela fotografia dava para um qualquer book ou campanha publicitária. 

Acabaram pouco tempo depois. Que eu me tenha apercebido, acho que já teve mais dois ou três desde então. Mas fotos destas de qualidade nunca mais teve. 

1 comentário:

м♥ disse...

que história! :) Eu também conheço algumas assim, que se começaram a fazer à vida muito cedo, demasiado cedo, e depois se perderam por aí. Mas nunca tive direito a fotos dessas...

Lá vou eu, a alta velocidade

Meses a ansiar por Junho e Junho chegou. Possivelmente um dos meses mais stressantes da minha vida, onde vi as minhas maiores olheiras de se...