terça-feira, 26 de junho de 2012

está mesmo a acabar não é?

Este é o post mais temido de sempre. É oficial, estou a acabar a minha licenciatura. Quem mandou agora serem só três anos hum?

Com um pouco de sorte, na próxima semana faço os meus últimos exames e fico de férias disto. De férias da licenciatura para sempre. Foram os três anos mais rápidos de sempre, e achava eu que o secundário tinha passado a voar. Tive um primeiro ano péssimo, e um terceiro aborrecido, mas o meu segundo vai sempre compensar estes dois, que foi, de facto, o melhor ano da minha vida.

Nestes três anos conheci cerca de 200 pessoas, das quais não mais de cinco ou seis ficaram verdadeiramente minhas amigas. É claro que guardo muitos outros no coração. Nestes três anos fui praxada e bem praxada, andei de olhos no chão, e gritei até ficar rouca. Vestiram-me de flor, fui baptizada no Mondego, trajei pela primeira vez. Depois foi a minha vez. Praxei e arranjei uma afilhada de quem vou ter muitas saudades. Nestes três anos bebi pela primeira vez cerveja e nunca me consegui habituar e gostar. Fui a três Latadas, fui a três Queimas. Fiz flores de papel até me doerem os dedos e fui em cima de um carro aos pulos. Encontrei o meu plano B. Conheci a Bones portuguesa. Passei a ir ao café da Associação com as míudas todas as sextas até que um dia nos fartámos. Troquei selos, e agora morro de ansiedade para os ler. Saí à semana, fui a todas as Serenatas. Queimei o grelo. Dei o nabo a morder. Disse que nunca na vida iria conseguir fazer o cadeirão e fiz, com 12, numa oral inédita. Tive o meu primeiro (e único) 18. Fiz imensos trabalhos em contra-relógio. Queixei-me de professores que não sabem dar aulas - oh senhores, é que não sabem mesmo!. Tive namorado e deixei de o ter. Conheci a casa da Rititi e a casa da tia da Dii como ninguém. Fiz gomas alcoólicas e concluí que são a maior desilusão de sempre. Enganei os seguranças da Queima ao fazer entrar a Dani com uma garrafa de Beirão quase inteira para o recinto dentro do casaco. Ri-me até às lágrimas tantas vezes. E vou-me sempre rir de cada vez que me lembrar da foto em que a H. parece a miúda do Exorcismo de Emily Rose. Vi os jogos de Portugal na Associação. Comi as maravilhosas tostas de lá. Esperei todas as semanas pelo dia do gratinado de tofu nas cantinas vegetarianas. 


Foram três anos bons, mas não fantásticos, porque não o foram. Afinal não é nada disto que quero. E agora, que já sou uma tipa licenciada, posso ser quase livre e tentar fazer o que eu realmente quero. Sinto-me um bocado na despedida porque tenho a sensação de que não vou voltar, nem para fazer o mestrado. Vou voar por outras paragens e tentar a minha sorte. Em breve a minha vida vai mudar radicalmente, e é por isso que anseio. E é por isso que, embora tenha pena de acabar o curso, sei que vou ser muito mais feliz do que o que fui aqui. 

6 comentários:

Patrícia disse...

Parabéns adiantados por estares prestes a ser licenciada :)

Eu estou no 2ºano e posso dizer que têm sido os melhores anos da minha vida, os mais difíceis também, mas os melhores.

Um grande beijinho.

Jude disse...

Deve ser mesmo bom estar a terminar e ver as coisas assim!:) Mas Coimbra deixa saudades, claro!

Buu disse...

Patrícia: Obrigada :) espero que sejam efectivamente os melhores anos da tua vida.

Jude: Coimbra deixa saudades, só não deixa mais porque é a minha terra natal ;)

м♥ disse...

eu ainda vou a meio e não quero nada que acabe já! não pelos exames e esses sacrifícios todos, mas pq sei que vou morrer de saudades desta vida de praxista e dos meus amigos:)

podem ser os anos de maior sacrificio, mas podem também ser os melhores anos da vida de alguém quando aproveitados ao máximo. agora que acabas, fica a saudade de algumas coisas, mas também tens direito a um novo começo! Espero que seja como tu planeias :)

Suu disse...

E passou a ser dos meus. Perguntou-me porque é que nunca o tinha visto! :)

Maria disse...

Aww, gratinado de tofu? A sério? Que fófi *.*

Sim, vou só mesmo comentar acerca disso, ahah. ♥

Lá vou eu, a alta velocidade

Meses a ansiar por Junho e Junho chegou. Possivelmente um dos meses mais stressantes da minha vida, onde vi as minhas maiores olheiras de se...