terça-feira, 30 de outubro de 2012

Ontem comecei a ver o filme Mystic River. Não consegui acabar de ver, adormeci pelo meio, e distraí-me lá para o fim. Demasiado overrated para mim, que sinceramente, não o consigo achar nada de especial. Há pouco pus-me novamente no computador para o acabar de ver mas quando os meus olhinhos viram que quer o novo episódio de Homeland quer o de Dexter já tinham saído, o Sean Penn não teve hipótese, e parece que só vou mesmo descobrir quem é que matou a filha dele amanhã. Paciência.




segunda-feira, 29 de outubro de 2012

E eis que

Buu Maria arranja finalmente um emprego para começar a ser cada vez mais dona do seu nariz (e ouvir cada vez menos bocas dos seus pais). Amanhã começo a aprender e tenho em mim que devo começar à séria dia 1 de Novembro. Mas se estão a pensar que é numa grande empresa, ou numa grande companhia teatral ou numa grande agência, bem...desenganem-se. A partir de amanhã começo a aprender o belo ofício de vender iogurtes com toppings, num centro comercial perto de si.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

quem diria que se os Fun e a Pink se juntassem até dava uma música fofinha, hum?


(e dou graças por só ter encontrado esta música agora, se tivesse sido há uns meses teria desatado a chorar mal ouvisse os primeiros vinte segundos)

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Da vizinhança

Nunca pensei que morar num prédio velho, num rés do chão colado à porta pudesse ser tão mau. O problema é quando o barulho não vem exclusivamente de fora mas quando também tem a sua boa cota parte nos meus vizinhos e companheiros de habitação. Fazem muito, mas muito barulho. Todos eles. Às 8:30 da manhã já vários fizeram questão de entrar e sair quatro ou cinco vezes do prédio. Falam alto e berram do fundo das escadas para velhas que mal ouvem. Andam com o caixote do lixo para trás e para diante. Descem as escadas como se pesassem 200kg. A da frente tem um cão que é santo e nunca ladra (ao menos isso!) mas que faz imenso barulho com as patas a escorregarem no chão. Não há paciência.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

time flies

É impossível não pensar que a esta precisa hora a grande maior parte dos meus amigos estão numa grande festa, lá na cidade dos estudantes. Hoje é o cortejo da Latada, e o ano passado mostrei-vos aqui como foi o meu dia. Foi dos dias mais fantásticos até hoje, e parece que só agora, à distância, o consigo reconhecer. A correria para ter os nabos mordidos, o não querer morder em nenhum e depois acabar por morder tantos, a minha preciosa ajuda à H. para ficar mais bem disposta uma vez que estava bêbada, o esperar umas boas duas horas para que aquele tipo que me era tão especial me viesse morder o meu último restinho de nabo, o ouvir a D. a reclamar que tinha que ir para casa e que ia perder o comboio, o mandar a rama ao Mondego e pedir um desejo, a melhor declaração de amor de sempre.

É impossível não pensar como num ano as coisas mudam tanto. Enquanto eles estão lá, na fanfarra, eu estou aqui no sofá a queixar-me de como estou doente, a assoar-me de dois em dois minutos, a comer gelado do Continente com morangos, e a ver as minhas séries preferidas. Enfim, um dia completamente random.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Rodolfo

Desde o meu primeiro ano que tenho um amigo meu que me faz questão de me chamar Rena. É o único, (graças a Deus que a moda nunca pegou) mas não posso dizer que ele não acertou em cheio quando o fez pela primeira vez. A Rena Rodolfo, aquela que vai à frente no grupo de bichos semelhantes que puxam o Pai Natal, tem o nariz vermelho. E eu sou assim também. Volta e meia cá estou eu doente e com o nariz bem vermelho para o demonstrar. Aliás, o meu sistema imunitário é mesmo muito fraquinho, e basta-me apanhar um friozinho - como o que estava na sexta à noite em Coimbra - para ficar logo com o nariz a correr, dores no corpo todo e a sensação de que é desta que a minha vida acaba. O que vale é que para estas situações tenho um amigo espectacular: chama-se Brufen e faz milagres.


segunda-feira, 8 de outubro de 2012

vício novo

A estas coisas das séries costumo chegar sempre tarde. É muito muito raro apanhar uma série desde o início e continuar a segui-la. Esta não foi excepção, mas já estou completamente rendida. Descobri-a com uma temporada de atraso mas isso também não é coisa da qual não se trate num instantinho.


Chama-se New Girl e é o meu novo vício.

sábado, 6 de outubro de 2012

Aquela música dos aviões,

comigo adquiriu novo significado. Onde moro passam aviões de dez em dez minutos, bem baixinho, de tal forma que até dá para ver de que companhia aérea são. Qualquer dia dá-me na gana e faço uma estatística.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Up

Já falei deste filme aqui não sei quantas vezes. Mas hoje cheguei a casa e lá estava ele de novo a dar na televisão. E, sempre que o vejo tenho sempre necessidade de falar nele. Gosto tanto deste filme que parece mentira. É, sem dúvida, dos meus filmes preferidos. Mas tenho graves problemas com ele. É que gosto tanto que basta-me ver dez segundos de um trecho qualquer que começo a chorar desalmadamente. Aos soluços, literalmente. Acho que tem muito que ver com a música, mas também é por causa da história que é absolutamente enternecedora e extraordinária. Gosto muito, pronto.


quinta-feira, 4 de outubro de 2012

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Constatação do dia #1

Aqui, em Lisboa, onde há um Minipreço às moscas, há imediatamente a seguir um Pingo Doce cheio. Não falha.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

E, voilá!

A minha breve estadia em Lisboa começa a dar frutos. Entrei para um curso de um ano de teatro à noite, assegurando a minha estadia aqui até Outubro do próximo ano. Amanhã tenho uma entrevista para um centro de explicações. Quando a responsável me ligou ontem à noite, a dizer que tinha visto o meu currículo, só me apeteceu dar pulinhos de contente. Parecendo que não, a minha vida aqui começa finalmente a estabelecer-se.

Nada que uma boa noite de sono não resolva

Chegou a terça-feira e tinha uma dor de cabeça horrível e sentia um cansaço generalizado. O meu corpo estava a suplicar-me para parar de mar...