sábado, 30 de junho de 2012

experiência 1,2,3, experiência

belo teste, afinal ainda não consigo ouvir Adele sem a porcaria das lágrimas quererem saltar cá para fora.

Sim, eu também tenho a minha posta de pescada a dizer sobre o Angel-O

Conheci o Ângelo Rodrigues em 2010. Conheci é como quem diz, tenho a certeza que se lhe perguntassem por mim ele não faria ideia de quem eu sou. Acontece que, em 2010, nesse belo mês de Julho, me inscrevi para entrar na ESTC, e fui chamada para o último dia de audições. Quem é que lá estava nesse dia também? Ele.

Andei todo o dia a olhar para o tipo e a ter a certeza que o conhecia de algum lado. Só por volta da hora de almoço se deu o clique na minha cabeça: é aquele tipo dos Morangos com Açúcar! Mas porque é que me custou tanto a reconhecê-lo? Porque ele estava aquilo que se chama um bicho. Super musculado, com um penteado da moda, enorme. Sentou-se uma vez ao pé de mim, e, juro-vos, senti-me mesmo pequenina.

Na altura não passou cartão a ninguém. Andou por lá a pavonear-se como se fosse o melhor - e realmente era bom - mas não gostei. Tinha a mania. Até cantava relativamente bem. 


Por isso quando ele apareceu nas revistas como uma grande surpresa, fiquei contente, eu já conhecia o tipo e tinha a minha posta de pescada a dizer sobre ele. 


O que é certo é que ele conseguiu ir até ao fim nas audições e entrou na escola...e eu não (a ver vamos se é este ano)

sexta-feira, 29 de junho de 2012

pois, então que

vi o Crazy, Stupid, Love e chorei um bocadinho no fim. Sou uma fraca. Anyway, superou as minhas expectativas, por isso, sim, vão por esse mundo fora e vejam o filme que vale a pena.


quinta-feira, 28 de junho de 2012

sobre a selecção

(não, não vou falar do jogo, nem dos penáltis, nem do facto de ter aparecido na TVI24 ou sobre ter estado na Associação desde as 14h a marcar lugar para poder ver lá o jogo, ou sobre os inúmeros ataques cardíacos que me deram durante aquelas mais duas horas que me pareceram infinitas)


A discussão que está instalada no meu grupo de amigas é:

O João Moutinho é ou não é jeitosão? Eu e a D. dizemos que sim, as outras olham para nós de lado e dizem que é feio até mais não. É que acho o tipo mesmo fofinho pá. 

quarta-feira, 27 de junho de 2012

logo eu que me costumo deitar com as galinhas

Estou aqui a esta hora feita parva a olhar para o computador a decidir se o desligo e vou dormir ou se vejo o Crazy, Stupid, Love. O pior é que amanhã é dia de acordar cedo, mas não consigo de deixar de ter a sensação estranha de que devia mesmo ficar acordada e devia mesmo ver o filme. Estúpido instinto.

terça-feira, 26 de junho de 2012

está mesmo a acabar não é?

Este é o post mais temido de sempre. É oficial, estou a acabar a minha licenciatura. Quem mandou agora serem só três anos hum?

Com um pouco de sorte, na próxima semana faço os meus últimos exames e fico de férias disto. De férias da licenciatura para sempre. Foram os três anos mais rápidos de sempre, e achava eu que o secundário tinha passado a voar. Tive um primeiro ano péssimo, e um terceiro aborrecido, mas o meu segundo vai sempre compensar estes dois, que foi, de facto, o melhor ano da minha vida.

Nestes três anos conheci cerca de 200 pessoas, das quais não mais de cinco ou seis ficaram verdadeiramente minhas amigas. É claro que guardo muitos outros no coração. Nestes três anos fui praxada e bem praxada, andei de olhos no chão, e gritei até ficar rouca. Vestiram-me de flor, fui baptizada no Mondego, trajei pela primeira vez. Depois foi a minha vez. Praxei e arranjei uma afilhada de quem vou ter muitas saudades. Nestes três anos bebi pela primeira vez cerveja e nunca me consegui habituar e gostar. Fui a três Latadas, fui a três Queimas. Fiz flores de papel até me doerem os dedos e fui em cima de um carro aos pulos. Encontrei o meu plano B. Conheci a Bones portuguesa. Passei a ir ao café da Associação com as míudas todas as sextas até que um dia nos fartámos. Troquei selos, e agora morro de ansiedade para os ler. Saí à semana, fui a todas as Serenatas. Queimei o grelo. Dei o nabo a morder. Disse que nunca na vida iria conseguir fazer o cadeirão e fiz, com 12, numa oral inédita. Tive o meu primeiro (e único) 18. Fiz imensos trabalhos em contra-relógio. Queixei-me de professores que não sabem dar aulas - oh senhores, é que não sabem mesmo!. Tive namorado e deixei de o ter. Conheci a casa da Rititi e a casa da tia da Dii como ninguém. Fiz gomas alcoólicas e concluí que são a maior desilusão de sempre. Enganei os seguranças da Queima ao fazer entrar a Dani com uma garrafa de Beirão quase inteira para o recinto dentro do casaco. Ri-me até às lágrimas tantas vezes. E vou-me sempre rir de cada vez que me lembrar da foto em que a H. parece a miúda do Exorcismo de Emily Rose. Vi os jogos de Portugal na Associação. Comi as maravilhosas tostas de lá. Esperei todas as semanas pelo dia do gratinado de tofu nas cantinas vegetarianas. 


Foram três anos bons, mas não fantásticos, porque não o foram. Afinal não é nada disto que quero. E agora, que já sou uma tipa licenciada, posso ser quase livre e tentar fazer o que eu realmente quero. Sinto-me um bocado na despedida porque tenho a sensação de que não vou voltar, nem para fazer o mestrado. Vou voar por outras paragens e tentar a minha sorte. Em breve a minha vida vai mudar radicalmente, e é por isso que anseio. E é por isso que, embora tenha pena de acabar o curso, sei que vou ser muito mais feliz do que o que fui aqui. 

sexta-feira, 22 de junho de 2012

coisa rápida que reparei agora

este novo programa com a Leonor Poeiras e o Nuno Eiró é das piores coisinhas que já vi, não tem mesmo ponta que se pegue.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

lema para amanhã


(eu sei, isto para a semana volta a ser um blog decente, e sim, tenho ido muito ao 9gag, demasiado até)

terça-feira, 12 de junho de 2012

emigrei para a terra dos exames

e ando um bocado perdida por lá, mas ando a safar-me! não sei é quando volto, um dia destes, e são e salva, espero eu.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

dieta de verão?

qual quê, hoje o jantar foram ovos estrelados, salsichas fritas e batatas também elas fritas. e que bem que me soube!


terça-feira, 5 de junho de 2012

sou uma pequena orca no que toca à fome

Quem me conhece desde pequena não me reconhece mais. Até aos meus 15 anos fui magrinha até mais não, reclamava que não tinha peito (bem...daqui pouco ou nada mudou, adiante!), que não tinha ancas, que as minhas pernas pareciam palitos, lá está, eu vestia um 32 de calças. Enfim, verdade seja dita, para quem não comia grande coisa era difícil engordar.

Pois que as coisas mudaram e eu ganhei aquele gosto pela comida. Principalmente quando tenho fome. É que vem tudo ao prato! Como, como, como, e depois fico mal-disposta.

Desde os meus quinze anos ganhei 10kg (o que não é grave admito, que eu era quase invisível). Entretanto, e neste último mês já ganhei mais cerca de 1,5kg. Ontem fui para a cama com um caldinho verde comido só porque sim - porque quando se está doente não se tem fome - e hoje acordei às seis da manhã com uma fome terrível com sonhos em que estava a morrer de tantas dores de estômago.

Posto isto, continuo com o estômago às voltas, por isso acho que vou dar ali uma voltinha à cozinha...

domingo, 3 de junho de 2012

este é só para ti.

Às vezes ainda duvido que aqui venhas. Outras vezes tenho mesmo a certeza que aqui pairas, não todos os dias, mas de vez em quando, para ver se te calha alguma coisa na rifa, ou então só mesmo para saberes de mim. E, então, pensando no segundo caso achei que te devia actualizar.

Sim, se ainda estivéssemos juntos saberias que já furei as orelhas, e no entanto, tenho a certeza em como te irias esquecer e não irias reparar. Saberias que voltei a ver o velho perverso e que tu foste a primeira pessoa a quem me lembrei de contar, mas não pude. Saberias que sempre que faço o caminho a pé para casa te imagino ao meu lado como tantas vezes foste, e que, sempre que passo no muro que tu destruíste, te vejo lá. Saberias que o meu irmão ainda não teve tempo de pintar o teu desenho mas eu também já não tenho coragem de lhe pedir. Saberias que afinal, e contra todas as minhas crenças, há dois tipos no meu curso interessados em mim e que isso não me aquece nem arrefece, porque todos os seres do sexo masculino me são indiferentes menos tu. Saberias que me é impossível apagar tudo o que é teu no meu telemóvel, e que continua tudo mais que intacto como se nada se tivesse passado. Saberias que o Glee fez uma piada com o Star Wars e eu fiquei feliz por ter visto os filmes graças a ti. Saberias que continuo com a foto do teu pai na minha sala à espera do dia em que ta ia mostrar, e agora também não tenho coragem de lhe pegar sequer. Saberias que morro de saudades tuas, porque, afinal, te fazia questão do dizer quando passávamos tanto tempo separados e agora também já não posso. Saberias que sempre que passo por um Clio branco vejo a matrícula para saber se é o teu carro e se tu lá vais dentro. Saberias que digo sempre olá aos teus amigos com o meu melhor sorriso. Saberias que ontem conheci dois caloiros da maneira mais estúpida que existe, mas também sei que terias orgulho em mim por ter deitado o meu anti-socialismo para trás das costas, que era claramente das coisas que mais detestavas em mim. Saberias que estou outra vez doente, e já consigo ouvir-te a gozar comigo por causa de eu sei um vidrinho.

Saberias que sou uma cobardezinha porque hoje tinha planeado comigo própria ir falar contigo sobre o quão estúpido é nós passarmos um pelo outro e não dizermos nada, nem sequer um olá, mas não consegui, e chances não nos faltaram.

E saberias que provavelmente quando a Dri, a Debs e a minha irmã lerem isto me vão dar na cabeça, mas eu nem quero saber.

Constantemente dividida

Entre querer que chegue a setembro para começar o mestrado e ter novidades na minha vida e querer que o verão não passe porque é a minha alt...