sábado, 16 de novembro de 2013

Breaking Sad

Em Outubro acabou uma daquelas que eu considero uma das melhores séries de sempre: Breaking Bad. Tinha tudo bom: os actores, o enredo, os planos, a música, a luz. Tinha tudo planeado ao mais ínfimo pormenor, e não deixando nada ao acaso, aproximou-se da perfeição.

Depois do luto feito, tentei encontrar outras séries que fossem tão ou quase tão boas. E aí começou o problema. Comecei por Awkward. Não sei porque achei que fosse bom, mas realmente não é. É um bocadinho melhor que Morangos com Açúcar, e ficamos por aí. Depois fui para Game of Thrones. Vi tudo, e gostei, mas acho que é um bocado sobrevalorizada. Falavam-me tantas maravilhas daquilo que fiquei até ao último episódio à espera de mais, e nunca chegou. E agora ando a ver Orange is the New Black. É levezinho, mas é engraçado, e tem uma história original pelo menos. Mas mesmo assim, não me enche. Alguma recomendação por esse lado?

3 comentários:

м♥ disse...

comecei a ver web therapy há algum tempo, é uma série engraçada mas admito que não tem piada para toda a gente (eu gosto porque é sobre a minha área de interesse, tem piada porque percebo o quão absurdas algumas coisas são). Vejo New Girl, Happy endings, Cougar Town, Modern Family, Teorias do Big Bang e How I met your mother... séries levezinhas, para descontrair. Adoro mentalista e game of thrones. E a intemporal anatomia de grey.
Ouço falar muito de once upon a time, aquelas todas dos vampiros, dexter (que também já acabou), scandal, revenge, ... não sei. destas ultimas não vejo nenhuma, é só de ouvir falar. E há sempre Friends, a série mais fixe e intemporal! :)

Anónimo disse...

Scandal!

faa m. disse...

se nunca viste lost, LOST.

se gostas de comédias, parks and recreation é a melhor para mim.
se gostas de dramas de adolescentes, tens skins (versão britânica claro) se gostas de cenas mais para adultos, tens californication.

Lá vou eu, a alta velocidade

Meses a ansiar por Junho e Junho chegou. Possivelmente um dos meses mais stressantes da minha vida, onde vi as minhas maiores olheiras de se...