sexta-feira, 31 de maio de 2013

Ontem parti um espelho

Hoje acordei com uma dor de cabeça que ainda permanece, bem como uma dorzinha de garganta que está a começar a aparecer, tive problemas na loja até mais não, tive problemas com o senhor da administração do centro comercial, foi o último dia com a minha colega preferida, fiz muito menos dinheiro do que aquele que estava à espera, tive clientes antipáticos, e acabei de entalar dois dedos numa porta da maneira mais estúpida que conheço.

Quantos anos faltam para isto acabar, mesmo?

segunda-feira, 27 de maio de 2013

quinta-feira, 23 de maio de 2013

coisas para lá de irritantes que acontecem numa viagem de autocarro

Ter uma velha a falar constantemente ao telemóvel, e bastante alto, para toda a gente ouvir a conversa. Raios , nunca mais chegamos a leiria para ela sair!

Banda sonora desde hoje à noite até Domingo à tarde

Homeward Bound/Home - Glee (um dos melhores mash-ups de toda a série)

sábado, 18 de maio de 2013

A minha vida dava um filme daqueles estranhos, bem estranhos mesmo

Mas acho que numa só frase vos consigo resumir o que aconteceu ontem ao final da tarde:

Fui com um rapaz que mal conheço e que a minha impressão sobre ele é que era giro e simpático, a segunda impressão é que era gay, mas que depois confirmei que era hetero porque o vi acompanhado ao Colombo, à loja da Pandora comprar-lhe um fio e uma conta para a namorada dele.

Não sei se fiz entender. Nem eu entendi na altura!

Estava eu a ir descansadinha para casa quando ele meteu conversa comigo e depois - grande lata! - me perguntou se podia ir com ele ao Colombo fazer aquilo que já vos contei. E eu? Eu fiquei estúpida a olhar para ele e depois lá disse que sim. E fomos. E apesar de eu não gostar de Pandoras (acho mesmo pouco originais e comerciais, e vou ser apedrejada mas... ficava triste que me dessem uma) lá o ajudei a escolher. No fim tive direito a um gelado de duas bolas da Haggen-Dazs, marca que nunca tinha provado na minha vida - mas que não é mesmo nada de especial.

Passado três horas estava de regresso a casa, e com um sentimento estranho dentro de mim. É, parece que agora tenho um amigo em Lisboa. Meio estranho, mas meu amigo. Acho eu.

domingo, 12 de maio de 2013

Pourtant quelqu'un ma dit que tu m'aimes encore

Carla Bruni - Quelqu'un m'a dit 

'Pourtant quelqu'un m'a dit
Que tu m'aimes encore
C'est quelqu'un qui m'a dit que tu m'aimais encore
Serais ce possible alors'


quinta-feira, 9 de maio de 2013

sábado, 4 de maio de 2013

Experiências gastronómicas #1

Desde que vim para Lisboa e que comecei a ganhar algum dinheirinho e alguma independência, decidi que iria satisfazer o meu paladar com tudo o que sempre quis experimentar e nunca tive oportunidade, e com outras coisas que só descobri cá mas que me deixaram logo de água na boca.

Joshua's Pita Shoarma 

Já que tinha ouvido falar tanto e tão bem, comecei por aqui. Mas esqueçam, é um grande no-no. Detestei, a carne sabe mal, as batatas são pouco saborosas e o menu é caro. Não me parece que lá volte. 


Santini

Oh-meu-deus. Eu juro que nunca comi gelados tão bons. São caros, pois que são, mas são mesmo muito bons, acabam num instante e só dá vontade de lá voltar e experimentar os sabores todos. Desta vez experimentei de Brigadeiro e as minhas papilas gustativas saltaram de prazer. Nhami-nhami!


Mas não ficamos por aqui. Em conversa com as minhas colegas de curso chegámos à conclusão de que somos todas umas ignorantes no que toca a comida de outros países e ficaram chocadas com o facto de eu nunca ter ido a um japonês - embora em Coimbra seja bastante normal, fizeram-me logo sentir provinciana. Portanto, vamos começar a fazer um roteiro gastronómico. A primeira sessão será com sushi, para eu ficar a par delas, e a partir daí é sempre a melhorar! Depois venho cá contar como foi (e fazer-vos um bocadinho de inveja também).

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Definição de mau começo de dia

Chegar à loja e em vez de ter cá o fornecedor à minha espera (atrasei-me dois minutos, bolas), ter 20 paletes de leite como presente, à espera que eu as carregue sozinha para quatro pisos abaixo daquele em que trabalho. Great.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Piscamos os olhos, e pum, lá passou mais um ano

Pouco a pouco o sentimento foi entrando. O primeiro bocadinho foi quando me fui despedir das minhas miúdas no primeiro dia de aulas dos caloiros e os vi lá, todos alinhadinhos, e eu não pude mandar um berrinho ou gozar nem que fosse uma única vez com eles. Depois veio a latada e eu já não estava mesmo lá, e custou-me. Vieram as férias de Natal e custou-me ainda mais, porque aí já estava a trabalhar e só tive direito ao dia 24 e 25. Depois vieram os exames - delas - e eu jurei que estava aliviada, e estava, por já me ter livre desta praga.

Mas depois chega este dia. O dia da serenata. É a primeira vez em três anos que não estou lá, e nunca pensei que me fizesse tanta falta. Chega-me a nostalgia e a saudade e eu penso que já nada daquilo é meu. Porque não é. Domingo, no cortejo, ainda vou lá dar um pulinho e tirar umas fotos com elas, e pensar que se lá tivesse ficado iria de cartola como a H. vai.

Se o ano passado fiz força para não chorar, este ano tenho a certeza que choraria, e bastante. Agora sei a falta que a universidade, Coimbra e os meus amigos me fazem.

Mas depois penso que não me arrependo de ter vindo para cá e que não trocava este ano por nada. E chego à conclusão de que há escolhas que doem mais que as outras, mas que têm de ser feitas na mesma, porque afinal há mais vida para a frente.

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Acho que resume tudo o que eu gosto num rapaz

é pena é eu ainda não ter conhecido nenhum assim desde que vim para Lisboa.