Random acts of kindness

Hoje de manhã fui a um centro comercial fazer compras de umas tralhas que estavam em falta para as atividades para miúdos que vamos realizar agora nas férias e, após passar no continente, segui até uma loja de arranjos de roupa com o objectivo de comprar uma agulha.

- Ah menina, aqui não se vende nada... - diz-me a senhora.
- Ok, obrigada na mesma. Sabe onde posso comprar?
- Pois, ali no continente têm uma zona disso. - responde-me olhando para o meu saco do continente e para a caixa de ovos gigante que trazia na mão.
- Ah, bolas, pois...o meu propósito era não ter de lá voltar, realmente não vi isso, que parvoíce a minha.
- Olhe sabe que mais? Quantas agulhas queria?
- Só preciso de uma, o mais normal possível.
- Então olhe, eu dou-lhe uma. Aliás, até leva duas, só para o caso. Leva aqui neste papel para não a picar.

Aceitei as agulhas com o maior agradecimento do mundo. Ainda há pessoas boas, das a sério. Servir-me-à de inspiração sempre que me pedirem ajuda e quando me der o próximo ataque de egoísmo estúpido.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

but life still goes on.

Run forrest run