sábado, 10 de junho de 2017

Let it be

De alguma forma, e nos meus poucos anos de vida nunca consegui ter os pratos da balança equilibrados. Quando estava a ser bem sucedida no secundário, sofria de solidão e de baixa auto-estima, quando entrei para a universidade e detestei o meu curso, conheci e apaixonei-me por uma das pessoas mais extraordinárias que já conheci até hoje, quando tudo acabou, mudei-me para Lisboa fazer aquilo que sempre quis. Quando arranjei um emprego por cá detestável, encontrei quem eu achei que iria ficar para o resto da minha vida.

Finalmente achava agora que os pratos da balança se iriam equilibrar: luz ao fundo do túnel profissional, comecei a gostar de mim a sério e a tratar-me bem, e as coisas com o H. estavam boas. Bastante boas até.

Vejo agora que foi um bom sentimento mas que apenas foi real durante alguns meses. Na verdade, foram apenas meses em que me iludi sobre o comportamento do H., e aqueles em que excluí as atitudes impulsivas e explosivas dele para um canto do meu cérebro que não uso frequentemente.

Mas...ultimamente, o saco tem vindo a encher, e na quinta-feira, aconteceu a gota de água que fez transbordar o copo. Dei graças a Deus de ele ter tirado férias na sexta-feira e em toda a semana que aí vem e ter ido para Coimbra, só eu sei o que preciso de um descanso mental de tanta negatividade junta. Não sei o que nos vai acontecer no final desta semana, mas estou em paz (acho). Olho para as paredes da casa e penso se serão os últimos dias que estarei aqui. Penso na viagem para Tenerife que temos marcada para dia 27 deste mês e não sei se vamos lá chegar. Estou cansada, esgotada, farta mesmo de ser desvalorizada, ignorada, tratada abaixo de cão. Tenho pena, a nossa relação parecia tão brilhante ao início, como se finalmente tudo aquilo que eu merecia estivesse finalmente a acontecer. O meu príncipe tinha finalmente chegado, e tratava-me bem, mesmo muito bem. Mas tudo esmorece e a pouco e pouco começa-me a tratar como trata todos os outros. Neste momento, o desfecho é o preço a pagar por ter ignorado aquilo que eu sempre soube: o H. é a pessoa que conheço que tem pior feitio.

Só quero agora que esta semana passe bem devagarinho e que me traga alguma paciência, calma, mas principalmente sensatez. No final destes dias quero ter chegado a uma conclusão, ou que ambos cheguemos a uma conclusão. Se vamos daqui juntos e mais fortes ou se decidimos que o caminho separados será o acertado.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Junho

Junho está claramente no meu top de expectativas para este ano.

Na última semana faço o exame que tem que me correr bem obrigatoriamente para me poder candidatar sem problemas à minha nova licenciatura em setembro. É o mês dos santos mas vou ter de lhes dizer que não uma série de vezes se quero estudar como deve ser. Marrar vai ser a palavra de ordem e vou ver se afixo lá em casa umas frases inspiracionais para me ajudar!

Calma Buu Maria

Com 25 anos já era altura de ser menos impaciente mas na verdade acho que estou cada vez pior. Será possível que andei desesperada para come...