segunda-feira, 31 de julho de 2017

Big news

Uma das coisas que sempre me pude sentir sortuda é a minha família. Nunca tive grande ligação com os meus tios e primos, mas sendo a mais nova de quatro irmãos, é impossível não sentir desde pequena que faço parte de um grande clã. Uma vez que a minha idade dista deles pelo menos dez anos, desde os seis que conheço uma cunhada, desde os 11 a segunda, e desde os 12 que sou tia. Assim, já somos dez no núcleo duro há nove anos, quando nasceu o reguila da família para atormentar a minha sobrinha.
Mas no espaço de duas semanas recebi mais duas grandes notícias: a minha irmã vai casar e o meu irmão vai ter o seu primeiro bebé!! As duas notícias vão ser anunciadas aos meus pais no próximo fim-de-semana e eu pagava para ver as reacções deles (estarei de viagem!) mas vou tanto pedir a alguém para filmar!

terça-feira, 25 de julho de 2017

Ah e tal que somos uma grande empresa

Mas coisas básicas como ter papel higienico na casa de banho é mentira.

Hoje de manhã só constava um rolo de papel de cozinha em cada individual.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Nada que uma boa noite de sono não resolva

Chegou a terça-feira e tinha uma dor de cabeça horrível e sentia um cansaço generalizado. O meu corpo estava a suplicar-me para parar de martelar e pensar em tudo vezes sem conta. Nessa noite dormi como há muito que não dormia.

Quarta-feira chegou e senti a cabeça fresca, voltei a sorrir e a rir, o dia passou com leveza e tomei uma decisão: primeiro, a minha vida não é um drama. Segundo, se não gosto dela tenho de a mudar, racionalmente e sem panicar pelo caminho. Portanto, aí vou eu para um mestrado em gestão que até são só umas horas em dois dias durante um ano (o segundo será tese) e que vai passar rápido. A partir do momento em que esteja inscrita consigo atualizar o meu cv, que enriquece automaticamente, e sair desta empresa mais facilmente. Para já, vou tentar sair até ao Natal, mas se não conseguir, pelo menos até ao próximo verão.

Agora que um problema está praticamente resolvido, é tempo de passar ao outro, que se adivinha mais complicado: resolver de uma vez por todas aquilo que sinto e esta trapalhada em relação ao H.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Vontade de chorar

É o que dá quando te apercebes que o melhor mesmo para o teu futuro é tirares um mestrado bom de gestão numa boa universidade cá em Lisboa mas que para o pagares vais ter de continuar a trabalhar no sítio onde estás mais um ou dois anos.

domingo, 16 de julho de 2017

Mais uma fichinha nesta montanha russa

Quinta-feira chegou e com ela trouxe a minha nota ao exame: 13.5. O suficiente para me garantir uma nota de entrada de jeito para poder entrar sem qualquer problema no curso que quero. A notícia chegou logo de manhã, e eu desatei aos berros de felicidade no parque de estacionamento da minha empresa enquanto falava com a C. Foi, sem qualquer sombra de dúvida a melhor notícia que recebi este ano. Encarei o resto do dia com um sorriso no rosto, e às 17h da tarde foi hora de explicar ao meu chefe que em setembro irei sair da empresa. A conversa correu dentro do expectável, com ele a ficar imensamente triste e a perguntar-se o que poderia ter feito para que eu não me tivesse desmotivado a pique como aconteceu no último ano.

Depois, foi tempo de falar com o meu big boss, o CEO da empresa, e explicar novamente a minha decisão. Não me lembro de na minha vida ter tido uma conversa tão dura psicologicamente. Embora compreenda, aceite e encoraje que eu volte a estudar para ter mais oportunidades no meu futuro, não considera que a escolha do curso seja de todo acertada e empurrou-me para um mestrado em Gestão, à semelhança do que tenho feito nos últimos três anos naquela casa, segundo ele de forma impecável, organizada, extremamente cuidadosa e profissional. Tirar outra coisa sem ser dentro desta área é uma perda de tempo, um gasto de energias e de todo o trabalho que já ali realizei.

Não lhe quis dar a entender, mas fiquei a pensar nisto. E se afinal eu me ando a esconder de algo que eu tenho realmente talento e sempre o demonstrei? Tenho até ao final desta semana para decidir. É claro: não sei o que fazer.


terça-feira, 11 de julho de 2017

sexta-feira, 7 de julho de 2017

E a um mês dos 25

Nem tudo é mau, posso finalmente dizer que voltei ao peso que tive há cinco anos! É realmente uma gratificação muito grande ver que aquele suor deixado nas corridas está a valer a pena!

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Nos primeiros seis meses do ano, já 8 pessoas (se contarmos comigo, 9) saíram da empresa por vontade própria. Acho que ilustra bem o quão bom este sítio é para trabalhar.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Meses à espera de Junho e Junho já passou

Fui mais vezes aos Santos que em todos os anos que cá estou juntos. Consolidei amizades, revi pessoas que não via há um ano, voltei a concluir que o melhor bairro de todos é a Graça. Tive uma noite de sto António memorável.
O H. esteve de férias e quando voltou fizemos as pazes. Seguramos as pontas e as coisas estão melhores mas não deixo de me sentir insegura e de insconscientemente estar à espera da próxima discussão.
Tive o casamento da minha prima que foi uma valente seca.
Fiz finalmente o exame nacional de Biologia e Geologia e correu uma porcaria. Aguardo pela saída das notas roendo as unhas todos os dias.
Fui a Tenerife e não adorei. Apanhei um escaldão, andei de barco, fiquei ligeiramente morena, li um livro completo, fui ao ponto mais alto de Espanha.
Voltei e quando voltei já era dia 1 de Julho. O mês em que a minha vida vai finalmente começar a dar uma volta.

Aos 25

Passei a meia-noite de 7 em Budapeste com uma das minhas melhores amigas e foi o melhor dia de anos de sempre. Entre almoçar McDonalds e jan...